segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Dois punhos

.
.
.
.
.
eu levo a vida

num movimento

num gesto

na voz

num passo

no braço;

eu levo a vida,

e não ela que me leva.

não saio dessa vida,

ela que saia de mim.

no dia da morte,

morrerei com a vida

- eu matarei a vida.
.
.
.
.
.

6 comentários:

.ana disse...

adorei!
eu tb costumo dizer que a vida não me leva, sou eu que a levo... [embora ás vezes não seja uma tarefa simples...];)

beijos!

Nydia Bonetti disse...

Gostei do teu palavrório! Estarei por aqui. Q
uanto à vida... Já nem sei quem leva quem...

Beijo!

ninguém disse...

O título me fez lembrar de mim mesma...

Maria disse...

'ela que saia de mim'.

que poder bonito.

Vida bonita neste novo ano, moça.

^^

Madame disse...

No fundo, somos nós mesmos que a matamos. E não é melhor assim?
Beijos, feliz 2010!

Fábio Farias disse...

e que a vida nos carregue (: