segunda-feira, 18 de maio de 2009

(P)rosa triste

Eu já esperava de tudo, como sempre. Teu silêncio inicial.
Teu sermão.
Os olhares de reprovação, aos quais já me acostumei.
Acho que vou te deixar um pouco, embora me doa muito, mas é que eu sinto que a cada (des)feito meu tu vais embora.
A gente vai se perdendo.
É como se cada desfeito meu fosse apagando a imagem que tinhas de mim.
E agora ela tá sumindo... Mas eu não esperava isso.


Tu foste pra mim o meu lugar-comum, se fores embora, pra quem voltarei?

E nunca mais hei de voltar da minha perdição.
Me restará o refúgio nas palavras, e só.
Sozinha.