terça-feira, 7 de julho de 2009

Metarosalinguagem

A rosa. Ela era muito bem cuidada, no entanto, suas pétalas caíram. Caíram porque a rosa já não as suportava, aquelas pétalas lhe pesavam, doíam. Doíam porque eram pétalas vermelhas e vívidas, lindas, mas já não combinavam com o interior daquilo que deveria ser uma rosa. Eu era muito bem cuidada, mas com o pesar do tempo e de todos os seus pesares, feneci. Emudeci. Emudecida até te encontrar. Encontrar-te foi como encontrar-me. Em lugares inusitados e de formas inusitadas. É encontrar-me em ti, em nós e dentro de mim mesma. Olhuda. Risonha. Sonhadora. Tudo passou a ter graça. Olhos de graça. A cada pôr-do-sol nascia na rosa uma nova pétala. Pouco a pouco, aquela haste verde e labirintalmente espinhosa voltava a ser rosa.
Estou voltando a ser uma rosa.