terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Recado

.
.

.
.
.
.
.
.
EU TE AMO TANTO QUE EU PODERIA DEIXAR-TE
AGORA E AMAR-TE ETERNAMENTE POR TODA A
MINHA VIDA, SÓ PRA NÃO TE AMAR MENOS.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

3 comentários:

Marcella B. disse...

Faço das suas, as minhas palavras.

Vitor disse...

Há um erro lógico neste raciocínio. Deixar de amar por um instante é uma mentira.

Mas quem precisa de lógica?

Branca disse...

Eu tenho pensado igual. Que droga de pensamento que não se apaga.