terça-feira, 13 de abril de 2010

Informes in úteis

.
,
,
3h23: eu ainda estou acordada passa um carro e dele jogam uma garrafa de vidro que se espatifa no chão e eu consigo escutar o barulho estando no terceiro andar onde há dois mensageiros do vento que não me deixam sozinha nem me relegam a um silêncio imenso onde eu poderia perder a voz e foi nesse ínterim que eu vi que eu não estava acordada sozinha e percebi que havia alguém que me acompanhava desde sua insônia e então eu passei minha vista sobre essa ausência de sono e daí resolvi deitar na cama ainda bagunçada chamar meu cachorro pra me fazer companhia lamentar a ausência do meu abraço cotidiano e fechar os dois olhos que possuo mais os dois que me faltam e talvez conseguir dormir porque a cabeça muitas vezes não pára quando o corpo deseja
,
,
,
,
22/03/2010

8 comentários:

coracaoamorfo disse...

sem pausas, como a insônia.

.ana disse...

síndrome do pensamento acelerado. isso tira o sono da gente, eu bem sei.
;)


beijos!

Branca disse...

Não sei mais o que é dormir. Fato. Nem escrever.

Vitor disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Kamila Zanetti disse...

ufa,fiquei sem ar,rs.

muito bom!

Maria disse...

Compartilho do mesmo 'ouvir madrugadas.'

...

Julia Malaguti disse...

Muitas vezes quem não para, comigo, é o coração, dando batidas e choros em falso pela madrugada.

denis disse...

"porque a cabeça muitas vezes não pára quando o corpo deseja"
+- assim