terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

De bem-escreveres






Tu és
pra mim,
com duas pernas, dois braços,
um par de olhos esperançosos lindos;
a barba mal feita, as costas mais convidativas que possa existir;
o corpo
suado
e o sorriso
de afago;
És
pra mim,
que já não escrevo mais nada nem nada mais,
com dez dedos nos pés e dez nas mãos - sendo um torto -,
tão-somente
és
a própria poesia.
Nós
somos o
poema
- e depois de ti não consigo escrever nada
mais bonito.











2 comentários:

Mariana disse...

vocês são lindos!
e haulha é uma poeta ímpar.

Ruaz disse...

São belos os seus textos!