terça-feira, 23 de outubro de 2012

De começ(ares)




Como começar a falar sobre um começo? Não sei. Ultimamente não venho sabendo de coisa alguma. Tenho estado meramente à espreita, assistindo a tudo e a todos: as coisas, as pessoas e até eu mesma. Curiosamente acompanhando o desenrolar das teias em que me meti, e hoje, mais uma vez, emprego esforços em delas me desvencilhar, entretanto, começo, e começo justamente e de forma justa a falar do que não sei: começo a falar do que estou pra começar; gostaria de dizer que é disso que agora me ocupo: estou mais uma vez começando tudo de novo, e, o mais importante: estou me começando. Tudo é novo, de novo. Um sentido, novo. Um cabelo, novo. Uma caneta, nova. Um livro, novo. Lugares, novos. Novos conceitos; novos pensamentos. Um abraço, de novo. Você, novamente. Descobertas, novas. Eu, descoberta nova. Novas descobertas. Cobertas, novas. Eu, descoberta. Eu, nova. Você, novo. Nós, renovados, nós, de novo. Estou tão-somente e só começando. Começando, apenas. Co-meçando. Já tenho até cheiro de orvalho. Só me resta, então, assistir a tudo à espreita, para que minha presença não me atrapalhe o desencadeamento das coisas, a espontaneidade dos eventos e o encadeamento, também de outros. Presto-me, pois, ao papel de telespectadora do meu próprio espetáculo, onde sou protagonista única, enquanto eu simplesmente continuo, sigo por aí, alguresnenhuresalhures, esquecida de que alguém me olha e me assiste - sabe-se-lá se me julga; e assim, ante os porvires que por ventura ou porventura virão, os por vires que por ventura ou porventura virás e os por vires que por ventura ou porventura virarei, de silêncio faço-me.








Verbete

Co-meçar: alusão de co-autoria. É medir com junto (em união)
uma medida de medição impossível. Variação de 
co-medir: medição sem (co)medimentos.



Um comentário:

Wagner disse...

Voltei. Reli você nos últimos dias. Reli você outra vez, em palavras - e em corpo. E só tenho a te dizer uma coisa: erraste: nunca perdeste o cheiro de orvalho, nunca perdeste o cheiro de outono, o abril que abre portas para a chegada do inverno, o teu cheiro que cura o frio da distância.