quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Da escravidão





Disseram-me escritor
mas ritos não escrevo
em ritos não faço-me ver
eis me aqui pois
escravo
de ritos não entendo
e nada falo
com a sutileza do cravo 
confundo em meu peito estampado
escravo em espinho cravado
o árduo sofrer como fado e fardo


Disseram-me certa vez 
escritor
sou escravo ardo vejo dor
Disse-lhes retrucando então


escrevedor.