quarta-feira, 30 de novembro de 2016

30/11/2016

















há um vazio explicável em mim.

Um comentário:

unr disse...

AUTOPSICOGRAFIA

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas da roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama o coração.

Fernando Pessoa

Haula,vc é uma poeta ou um poetisa interessante,cativante e camaleônica,mereces mais divulgação. E caso te lembres ,for passar um link que te indiquei:
http://www.jornaldepoesia.jor.br/poesia.html . Talvez vc curta ou não,sei lá.