sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

09/08/2018


um dia sonhei que a gente casava
tu vinha e me carregava
não havia convidados 
nem palavras começadas com in-
eu não tava velha nem jovem
tava nova 
determinada
decisa

no casório que se adiantava
encostava meu rosto no teu
sentia teu cheiro no cangote
festa a dois
fitava em minhas mãos o que me cobria
mascate da terra
entrançado sertanejo
vestido de linho branco e cambraia
todo costurado em renda renascença
tão alvo que teu olhar reluzia
não sei se da brancura 
ou da felicidade que sentia

e aparecia uma senhora
que de tão senhora 
diminuía
e que repetia:
o futuro é um presente
embrulhado 
em um tecido
bem passado

acordada
não sei se destino ou sonho
se passado ou futuro
nem sei quem era a renascida:
se a renda do vestido 
ou a noiva que o vestia






Nenhum comentário: